sábado, 7 de maio de 2016

" Na Cozinha dos Amigos" - Bolo de Maçã e Côco da Maria João

Sou uma coleccionadora de afectos, de memórias e de receitas. E nada melhor que partilhar afectos com bolos, aqueles que confortam o estômago e a alma, aqueles com que escrevemos a parte doce da nossa história, como este que ficará marcado no meu quadragésimo quinto ano de vida, dia bem diferente pelas mais variadas razões, mas que não deixou de ser especial apesar de estar longe dos meus mais queridos.
As receitas são a prova disso, transportam sempre algo de quem as faz, de quem as partilha e este bolo para mim é de imediato associado a uma colega e amiga, a Maria João. Tem dois ingredientes que ela adora e além disso é o bolo que ela faz sempre que há encontros ou festas, onde desaparece em segundos. faço este bolo e recordo-me de imediato da minha amiga. E será sempre assim que o fizer, será hoje e sempre o bolo de maçã e côco da João.
Pedi-lhe a receita e ela gentilmente a cedeu, creio que todos os que o provam ficam com a receita, e eu além de o fazer quis partilhá-lo na minha rubrica dedicada aos amigos, pois merece destaque porque é delicioso e facílimo de fazer. É daqueles práticos que não precisam de balança e em que se bate tudo ao mesmo tempo, portanto acessível a todos os que dizem que não sabem fazer bolos porque lhes sai mal, este garanto que sai bem a qualquer um. Basta juntar os ingredientes bater, envolver a maçã e levar ao forno onde a magia acontece!
Difícil? Não. O bolo ideal para qualquer ocasião. Vai um quadradinho? 


Ingredientes:
(Chávena = 220 ml)
( Fiz metade da receita, é o suficiente para um tabuleiro normalmente utilizado (30cm x 20cm), bem como o recomendado por quem o faz, porque a massa rende muito).

6 ovos (usei 4 de tamanho médio)
4 chávenas de farinha de trigo (2 chávenas)
2 c.chá de fermento em pó (1 c. chá)
3 chávenas de açúcar (usei apenas 1 chávena de açúcar amarelo)
3 chávenas de maçã reineta cortada aos cubos (utilizei 4 Maçãs Royal Gala)
1 chávena de óleo (1/2 cháv.)
1 chávena de leite (1/2 cháv)
1 chávena de côco ralado (igual quantidade, sem alterar)
Côco ralado para polvilhar q.b. (usei quase uma chávena, pois polvilhei antes e depois de desenformar)


Modo Tradicional

1.Untar o tabuleiro com manteiga e polvilhar com farinha.
2.Descascar as maçãs e cortá-las em cubos. Reservar.
3.Misturar os ovos com o açúcar, a farinha, o leite e o côco.
4.Juntar a maçã e envolver.
5.Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 30 a 40 minutos (no meu forno bastaram 25 minutos)
6.Retirar do forno e polvilhar abundantemente com côco.
7.Desenformar e cortar aos quadrados ( Eu ainda polvilhei com mais côco)

Modo Bimby
Fiz a minha adaptação:
1. No copo deitar todos os ingredientes e bater 1 Min/Vel.4.
2. Juntar a maçã e envolver 5 Seg/ Vel.3/ Colher Inversa.
4 Com a espátula envolver mais um pouco e deitar no tabuleiro previamente untado e polvilhado com farinha.
5. Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 30 a 40 minutos.
6.Retirar do forno e polvilhar abundantemente com côco.
7.Desenformar e cortar aos quadrados ( Eu ainda polvilhei com mais côco)





Bom Apetite!



 

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Creme de Legumes com Espargos Verdes


Quando planeio a ementa cá de casa, há algo que não pode faltar diariamente: SOPA.
Faço várias, embora haja as preferidas e de vez em quando lá surgem uns cremes inesperados, baseados no que há no mercado ou conforme a estação do ano. Desta vez a oportunidade foi dada por uma promoção nos espargos e nem hesitei quando os vi. Vieram comigo sem saber qual o destino, mas algo delicioso haveria de encontrar, nem que fosse um creme de legumes com um ingrediente diferente. Assim foi, e para variar resolvi improvisar juntando espargos a uma simples base de legumes resultando neste saboroso creme. Há combinações vencedoras e esta é uma delas!

Ingredientes:
2 alhos franceses (só a parte branca)
1 curgete média ou 2 pequenas
1 batata média ou 2 pequenas
8 espargos
azeite q.b
0,5 l de água
sal q.b.

Preparação:
1. Arranjar os espargos, cortando o talo com a mão onde este ceder. Limpar e cortar as pontas.
2. Numa panela deitar azeite no fundo e juntar os alhos franceses em rodelas, a curgete e a batata-doce em pequenos cubos, bem como os espargos em pedaços ( excepto as pontas, que reservei para o final). Deitar suar os legumes no azeite,mexendo sempre até amolecerem.
3. Juntar a água, apenas meio litro e deitar levantar fervura e cozinhar os legumes cerca de 10 minutos.
4. Findo o tempo, triturar com a varinha mágica, temperar de sal e deitar as pontas dos espargos entretanto reservadas. Voltar ao lume e deixar cozinhar mais 2 a 3 minutos.


Bom Apetite!

terça-feira, 26 de abril de 2016

"Reciclar é Poupar" - Uma Espécie de Feijoada


A vantagem de ter um talho de confiança é a de ter a certeza da origem e da frescura de todo o tipo de carne que entra em minha casa. Já comparei com a carne das grandes superfícies e não tem nada a ver. Pode ser um pouco mais cara, mas o sabor é diferenciador e a qualidade também.
Na última visita ao talho comprei carne para fazer um tipo de cozido, não à portuguesa, mas à minha maneira, ou seja, eu gosto de cozer apenas chispe, entremeada e entrecosto de porco, carne de vaca, ao qual junto alguns enchidos como chouriço de carne, farinheira e morcela da Guarda, quanto aos legumes dou preferência à couve coração, batata-doce, nabo e cenoura. Como vêem não é o típico cozido, mas sim o meu cozido.
Sobram sempre carne e enchidos e confesso que faço para que tal aconteça, pois há uma segunda opção para preparar outra refeição reutilizando as carnes já cozidas. No domingo, o dia ideal para o fazer, preparo logo a carne cozida, guardando com a água da cozedura e caixas próprias para congelar, para usar a meio da semana, quando o tempo é pouco para estar na cozinha.
Desta vez sobrou chispe, entremeada, meia farinheira e meio chouriço de carne e como nada se estraga, optei pela minha espécie de feijoada, como lhe chamo, porque faço à minha maneira. 
Enfim, um prato típico para dar as despedidas ao inverno, pois o tempo primaveril parece que chegou de vez e com ele o apetite por refeições mais leves e frescas adequadas às temperaturas amenas que se começam a fazer sentir.



Ingredientes:
- Para 4 pessoas -
Sobras da carne de porco cozida ( chispe, entrecosto, entremeada)
1 cebola
2 dentes de alho
azeite q.b.
1 folha de louro
2 cenouras
2 batatas grandes
1 lata pequena de feijão ( usei encarnado, mas pode usar manteiga ou branco)
Meia couve coração
sal, pimenta q.b.
1 c. chá colorau
1 c. café de pimenta de caiena
1 c. sopa de polpa de tomate
1 golpe de vinagre ou vinho branco ( mais ou menos a olho), o equivalente a uma colher das de sopa.
500 ml de água
Chouriço ( meio) já cozido
Farinheira ( meia) já cozida

Preparação:
1. Num tacho deitar o azeite, de forma a cobrir o fundo do tacho. Deitar a cebola e o alho picado e deixar amolecer.
2 Juntar a folha de louro e a carne de porco já cozida, cortada em pedacinhos, bem como um pouco da água da cozedura. Mexer e deixar cozinhar. Entretanto, deitar uma colher das de sopa de polpa de tomate, uma colher de chá de colorau e uma de café de pimenta caiena e deitar um golpe de vinagre ou de vinho branco. Deixar cozinhar uns minutos. De seguida, juntar mais água e deixar levantar fervura.
3. Assim que levantar fervura, deitar a batata aos cubos, a couve coração ripada, e o feijão.Temperar com sal, noz-moscada e 5 Bagas da Margão.
4. Colocar o meio chouriço cortado em rodelas, a meia farinheira inteira e deixar cozinhar em lume brando cerca de 20 minutos. Eu gosto de juntar a farinheira porque gosto que ela se vá desfazendo no molho, mas pode-se juntar apenas a 5 minutos do fim.



Bom Apetite!

sábado, 23 de abril de 2016

Bolo de Quark com Citrinos



O queijo quark faz parte da minha lista de compras e sempre que está em promoção compro uma embalagem extra para experimentar uma nova receita, ou seja, arranjo a desculpa ideal para fazer mais um bolinho. Mas desta vez, dadas as circunstâncias optei por repetir uma receita que costumo fazer, apenas substituindo o iogurte pelo queijo quark, aliando assim o útil ao agradável.
Na fruteira, moravam há uns dias, uns limões e laranjas biológicos (oferta de uma amiga) à espera de um delicioso e guloso fim, e nada melhor para aproveitar a ocasião e fazer o meu bolo de citrinos, sendo que desta vez o quark substituíu o iogurte. 
O resultado foi um bolo fofinho, bem aromático e super delicioso. 
Nada como um bolinho caseiro para aprimorar o lanche de domingo ou a merenda durante a semana.




Ingredientes:
4 ovos
100g de manteiga
180g de açúcar amarelo
220g de farinha com fermento
1 c.chá de fermento em pó
130g de queijo quark
casca (parte vítrea) de uma laranja e de um limão
uma pitada de sal.

Modo Bimby

1. No copo deitar o açúcar amarelo e pulverizar 15 seg/ vel.9. De seguida juntar as cascas do limão e laranja e marcar mais 15 seg/Vel.9.
2. Colocar a "borboleta" no copo e juntar os ovos ( e uma pitada de sal) e a manteiga em pequenos pedaços. Marcar 2m30/37ªC/Vel.4. Após terminar marcar mais 2m30/Vel.4, mas sem temperatura,
3. Retirar a "borbolea" e adicionar o queijo quark. Bater 10 seg/Vel.4
4. Juntar a farinha misturada com o fermento e envolver 7 seg/ Vel.4
5. Deitar numa forma de buraco ou rectangular ( tipo bolo inglês), previamente untada e polvilhada com farinha, e levar ao forno pré.aquecido a 200ºC, cerca de 25 a 30 minutos ( como o tempo de cozedura varia de forno para forno, convém fazer o teste do palito ao fim de 25 minutos. Se este sair seco retirar de imediato do forno.
6. Deixar arrefecer e desenformar .

Modo Tradicional
1. Bater as gemas com o açúcar e a manteiga até obter um creme esbranquiçado.
2. Juntar o queijo quark e bater novamente até ficar bem envolvido.
3. Bater as claras em castelo com uma pitada de sal.
4. Adicionar a farinha e o fermento e envolver. Por fim envolver as claras em castelo sem bater.
5. Deitar numa forma de buraco ou rectangular ( tipo bolo inglês), previamente untada e polvilhada com farinha, e levar ao forno pré.aquecido a 200ºC, cerca de 25 a 30 minutos ( como o tempo de cozedura varia de forno para forno, convém fazer o teste do palito ao fim de 25 minutos. Se este sair seco retirar de imediato do forno.
6. Deixar arrefecer e desenformar .




Bom Apetite!

sábado, 9 de abril de 2016

Bolachinhas de Alfarroba e Amêndoa


Mais uma variedade para acrescentar à lista de bolachinhas que faço cá por casa. São fáceis e saem sempre bem.

Ingredientes:
220g de Farinha
100g de Açúcar
30g de Farinha de Alfarroba
1 colher (chá) de Fermento em pó (Fermento em pó Royal) 
100g de Manteiga (Utilizei a Vaqueiro especial para Bolos)
1 Ovo
Amêndoas grosseiramente picadas q.b. (usei 80g)

Modo Bimby

No copo deitar todos os ingredientes, (excepto as amêndoas), pela ordem indicada. Programar 15 Seg/Vel.6.
Juntar as amêndoas e marcar mais 7 Seg/Vel.6.
Moldar bolinhas, do tamanho de nozes e espalmar, com a mão ou com um garfo. Colocar num tabuleiro, forrado com papel vegetal, ou untado
Levar a forno pré-aquecido a 180º, durante 20 minutos.


Modo Tradicional

Numa tigela, deitar a farinha com o fermento, o açúcar, a farinha de alfarroba e fazer um buraco. 
No meio deitar o ovo e a margarina ( previamente derretida).
Mexer com uma colher até formar uma massa moldável. 
Juntar as amêndoas e amassar. Formar uma bola e deixar repousar.
Moldar bolinhas, do tamanho de nozes e espalmar, com a mão ou com um garfo. Colocar num tabuleiro, forrado com papel vegetal, ou untado
Levar a forno pré-aquecido a 180º, durante 20 minutos.



Bom Apetite!

Fonte: A minha  imaginação!

quinta-feira, 31 de março de 2016

"In Teleculinária" - Tabuleiro de Maçã



Bolos de maçã e canela são sempre bem-vindos. Sempre que vejo uma receita assinalo para experimentar, e esta da Teleculinária não foi excepção. Um bolo igual a muitos outros, mas o que faz a diferença e é notória no sabor final é o simples facto de mergulhar as fatias de maçã em água com rodelas de limão. 
Deixo a receita, ou seja a minha adaptação à Bimby e a original. Recomendo, pois é daqueles bolos que sabem sempre bem em qualquer estação do ano.




Ingredientes:
4 maçãs reinetas grandes ( usei 6 maçãs royal gala das pequenas)
250g de açúcar ( usei apenas 200g de açúcar amarelo)
250g de farinha
100g de manteiga
4 ovos
100 ml de leite
20g de fermento em pó ( usei 2. c chá )
1 c. chá bem cheia de canela em pó
Raspa de um limão
Rodelas de limão q.b.
Manteiga para untar
Farinha e açúcar para polvilhar

Modo Tradicional

1. Descasque as maçãs, corte-as ao meio, retire-lhes as sementes e corte-as em fatias. Coloque de molho em água com rodelas de limão.
2. Numa tigela, bata o açúcar com a manteiga. Adicione seguidamente o leite e depois os ovos, continuando sempre a amassar. Junte depois a farinha peneirada com o fermento, a canela e a raspa de limão e mexa bem.
3. Espalhe a massa num tabuleiro previamente untado com manteiga e polvilhado com farinha.
4. Coloque por cima as fatias de maçã, polvilhe com açúcar e leve ao forno pré-aquecido a 170ºC, durante 50 minutos. Retire, desenforme e sirva.

Modo Bimby

1. Descasque as maçãs, corte-as ao meio, retire-lhes as sementes e corte-as em fatias. Coloque de molho em água com rodelas de limão.
2. No copo da Bimby, deite o açúcar, a manteiga e os ovos e  marque 6 Min/ Vel. 4.
3. Junte o leite e bata mais Vel.4/10 Seg
4. Por fim adicione a farinha com o fermento, a canela e a raspa de limão e envolva, marcando 
7 Seg/Vel.4.
3. Espalhe a massa num tabuleiro previamente untado com manteiga e polvilhado com farinha.
4. Coloque por cima as fatias de maçã, polvilhe com açúcar (eu acrescentei canela) e leve ao forno pré-aquecido a 170ºC, durante 50 minutos. Retire, desenforme e sirva.


Segundo a revista Teleculinária, a receita tem as seguintes carateristicas:
Pessoas: 6
Tempo de preparação: 1h30m
Grau de dificuldade: Médio
Custo: Económico

Fonte:Teleculinária nº 1903, Especial Outubro 2015




Bom Apetite!

quarta-feira, 30 de março de 2016

Carne Guisada com Cogumelos e Ervilhas


As vantagens de cozinhar antecipadamente são muitas, uma delas é durante a semana preparar refeições em menos de meia hora.  Hoje partilho, não uma receita, mas sim uma sugestão de como se pode variar uma simples carne estufada previamente preparada com tempo, a pensar nos dias em que ele falta.


A base da carne guisada já está pronta e com um pouco de imaginação ou apetite do momento temos na mesa um prato delicioso.


No inicio do mês, quando faço o planeamento das refeições do mês, e cá por casa são todas as refeições, tenho a preocupação de fazer uma quantidade generosa de carne de vaca estufada ou guisada, para ao longo das quatro semanas seguintes ter uma refeição quase pronta, onde basta preparar o acompanhamento e que permite em menos de meia hora ter o jantar ou almoço na mesa sem grande esforço. Às vezes sai uma jardineira ou uma simples carne com esparguete, desta vez para variar acrescentei à base de carne guisada (cerca de 400g), uma lata pequena de cogumelos laminados e duas chávenas de ervilhas congeladas. O esparguete foi cozido à parte e servido como acompanhamento.
Em meia hora apenas, um prato colorido para fazer esquecer os dias frios e cinzentos com que se despede o mês de março.



Ingredientes:
Para 2 pessoas » para 4 refeições
400g de carne de vaca guisada ou estufada ( uma dose pré-preparada)
1 lata pequena de cogumelos laminados
2 chávenas de ervilhas congeladas (Chávena = 220 ml)
água q.b.

1. Num tacho deitei a carne guisada com o molho e um pouco de água ( geralmente uso o recipiente da carne para aproveitar o molho que fica agarrado) e levo a ferver.
2. Assim que levantou fervura, deitei os cogumelos laminados escorridos e as ervilhas congeladas. Baixei o lume e deixeicozinhar as ervilhas, cerca de 10 minutos.
3. Entretanto, cozi o esparguete à parte.
4. Assim que as ervilhas ficaram tenras e o esparguete cozido al dente, servi a gosto conforme apresento na foto.



Bom Apetite!

sexta-feira, 25 de março de 2016

Ninho da Páscoa


Um simples bolo numa forma de buraco, coberto com uma glace de chocolate e decorado com fios de ovos e amêndoas ou ovinhos de chocolate faz um brilharete no dia de Páscoa, embelezando a mesa mais singela.


Este ninho da Páscoa foi feito para o almoço de Páscoa de 2012 e lá foi ficando esquecido para publicar no blogue, até que este ano em busca de ideias para o dia encontrei as fotos e lá fui procurar a receita onde me inspirei apenas para o bolo (in Teleculinária nº1354 de 2005), a qual fiz a minha adaptação à Bimby, portanto indico tal e qual fiz na altura (porque escrevo sempre na receita original, as minhas adaptações).


Fica a minha sugestão para o Domingo de Páscoa deste ano com votos de uma Santa e Doce Páscoa!

Ingredientes:
125g de farinha para bolos 
125g de açúcar
4 ovos
80g de manteiga + para untar a forma
Farinha para polvilhar

Para a Glace de chocolate:
150g de chocolate para culinária
30 g de manteiga

Para decoração:
Fios de ovos q.b.
Ovos de chocolate ou amêndoas ou trufas de chocolate.

Preparação:
Modo Tradicional
Massa: Bata os ovos com o açúcar e leve ao lume em banho-maria, batendo sempre até ficarem com o dobro do volume. Retire do banho-maria e continue a bater até ficar completamente frio.
Junte a pouco e pouco a farinha e, por fim, a manteiga previamente derretida, envolvendo-a na massa delicadamente.
Barre uma forma de buraco com manteiga e polvilhe-a com a farinha. Deite a massa dentro e leve a cozer, durante 20 minutos, em forno pré-aquecido a 180ºC.
Deixar arrefecer antes de desenformar.

Modo Bimby
No copo colocar a borboleta e deitar os ovos e o açúcar. Bater 6 Min/37º/Vel.4. 
Marcar mais 4 Min/Vel.4 ( sem temperatura). Deve ficar um preparado esbranquiçado, fofo e com o dobro do volume.
Juntar a manteiga derretida ( basta uns segundos no microondas) e marcar 10 seg/Vel.4
Envolver a farinha 7 seg/Vel.4.
Barre uma forma de buraco com manteiga e polvilhe-a com a farinha. Deite a massa dentro e leve a cozer, durante 20 minutos, em forno pré-aquecido a 180ºC.
Deixar arrefecer antes de desenformar.

Glace de chocolate:
Parta o chocolate e leve-o a derrter em banho-maria. Quando estiver derrerido, retire do lume, adicione a manteiga e misture bem. 

Barrar o bolo com a glace de chocolate, decorar a gosto com fios de ovos, enchendo o buraco no meio do bolo e à volta do mesmo. No centro do ninho colocar as amêndoas ou ovos de chocolate ( neste usei trufas de chocolate compradas na Hussel's.



Votos de uma Santa e Feliz Páscoa 2016 !


Fonte:In Teleculinária nº 1354, de 21/03/2005

São Meia Dúzia!


Já são meia dúzia!!! Há pois é, sem dar conta, contam-se seis anos.
Meia dúzia, seis anos de Bago de Romã na blogoesfera. São meia dúzia de partilhas, de algo feito sempre com muito amor e dedicação, acima de tudo para o próximo, em qualquer lugar do mundo.
Meia dúzia, seis anos sem muitas publicações, mas com alguma regularidade, não a desejada mas a possível. Com o tempo muito planos se esfumaram, alguns estão em banho-maria, outros em embrião, regados à medida do que a vida permite sem deixar morrer. Sim, acabar não está nos planos, pois o Bago de Romã é uma parte de mim, faz-me renascer, sentir útil. Um Bago de Romã que dá cor aos meus dias quando estes são cinzentos, quando o stresse e as preocupações do dia-a-dia bloqueiam as ideias, o meu cantinho cor de rubi chama por mim e quebra a rotina, o medo e as inseguranças, logo desejo festejar pelo menos mais seis, sempre dando o melhor de mim, com genuinidade e acima de tudo com o coração.
Meia dúzia, seis anos de partilha de sugestões, dicas, conhecimentos, receitas experimentadas e outras criadas por mim, receitas que me acompanham desde sempre dadas pela minha mãe, como é provado pelo top 6 das mais vistas de sempre: "Conhecer melhor o dióspiro"; "Dicas e Sugestões"- Desfiar o frango na Bimby; "O meu bolo de Iogurte e Citrinos"; "Maçã cozida no microondas"; "Castanhas assadas no microondas"; "Bifes de cebolada à moda da minha mãe"
Meia dúzia, seis anos, diariamente vistos em Portugal, no Brasil, nos Estados Unidos da América, em França, na Suiça e no Reino Unido.
São meia dúzia de anos é certo, mas para mim são seis anos gratificantes por tudo: pelas visitas, pelos comentários, pelas partilhas, pelos laços criados com carinho, pelas pessoas que tenho conhecido que sem este espaço nunca teria o prazer de as conhecer, pela experiência, pela busca de saber sempre mais e de melhorar os meus conhecimentos e acima de tudo por me orgulhar em todos os "bagos" que espalhei pelo mundo virtual sem grandes pretensões nem interesses, onde o único objectivo foi o da partilha.
São meia dúzia, seis anos com 331 publicações feitas ( eu sei que é pouco...), 446420 visualizações, 315596 visitas oriundas 134 paises. 
São meia dúzia , seis anos com 295 seguidores no blogue, com 2578 amigos no Facebook onde a pouco e pouco vão compondo os "bagos" da Romã.
No fundo são meia dúzia de tudo e de nada. Meia dúzia de boas razões para festejar e meia dúzia de motivos para continuar.
A todos os que me têm acompanhado desde sempre, os que têm chegado entretanto e a todos os que estão para chegar, resta-me apenas AGRADECER do fundo do coração e desejar que continuem a acompanhar, a comentar, a sugerir e rectificar quando necessário.
O Bago de Romã é um pouco meu mas é de todos os que por aqui passam, pois graças a Vós que aqui estou! Sejam bem-vindos, sempre!



Bem Hajam!

domingo, 20 de março de 2016

"Conhecer Melhor" - Bimi ou Mini-Brócolos ou Broccolini




Já tinha olhado várias vezes para aqueles mini-brócolos, embalados e etiquetados com o nome BIMI. Sempre que passava por eles, pegava na embalagem e hesitava em provar. Pareciam-me apetitosos mas na hora de os trazer, voltava a colocar a embalagem no sítio e dizia “fica para a próxima”.
O nome ficou na cabeça e antes de experimentar, como sou muito curiosa, fui em busca do que é esse mini-legume, das suas propriedades e claro está fiquei logo apaixonada quando li que era mais rico em nutrientes que o próprio brócolo e espinafre. Depois de o conhecer bem, experimentei e neste momento faz parte da minha ementa semanal pelo menos 2 vezes na semana. Adoro cozido ao vapor para acompanhamento. Garanto-vos que é tenro e tão saboroso que (para mim), dispensa temperos.



Então o que é o BIMI?
É uma hortaliça inovadora e saudável, originária do Japão e que resultou do cruzamento entre os brócolos e a couve chinesa kailan, também conhecida como Broccolini.
Tem um sabor doce e suave, com um talo similar ao de um espargo verde e um florete que nos faz lembrar os brócolos.Os seus caules são firmes, tenros e suculentos.
O seu alto conteúdo em fibras e ácido linoleico torna-o num excelente elemento a incluir em dietas para perder peso e não só.  Esta”super verdura” assim reconhecida devido ao seu elevado teor em nutrientes essenciais, traz benefícios para a saúde com apenas três porções por semana. 
Rico em cálcio, Ferro, Zinco e Vitaminas A e C. Aliás tem mais zinco , ácido fólico, anti-oxidantes e vitamina C que os espargos verdes, o brócolo  tradicional e os espinafres. Abudante em glucosinatos, que é um agente anti-cancerígeno próprio das brássicas. Contém sinigrina, o que favorece a eliminação das células pré-cancerígenas. Segundo vários estudos, o Bimi ajuda a prevenir o cancro de estômago, cólon e pulmão.


Como consumir o BIMI?
Os caules firmes e tenros não precisam de ser descascados nem raspados. Depois de lavados podem-se consumir crus ou cozinhados. Ficam melhores cozidos a vapor, pois não se devem deixar cozer muito, senão ficam moles e perdem o sabor.
Um legume versátil que se adapta a todo o tipo de pratos, como acompanhamento ou entrada.
E agora depois desta apresentação, não têm curiosidade?




Bom apetite!

Fonte:http://bimi.es/pt-pt/bimi-pt/