terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Sopa de Legumes com Espinafres


O frio continua a chamar pelas refeições quentes, portanto nada melhor do que uma reconfortante sopa na mesa.
Posso dizer que esta é uma das minhas favoritas no  inverno. Tem grão, curgete, nabo, cenoura, batata-doce, cebola, alho e espinafres. Um creme rico de legumes abrilhantado pela textura sedosa dos espinafres frescos. Simplesmente deliciosa.
Uma sopinha mesmo boa para aqueles dias em que ao chegar a casa não apetece fazer nada, sendo essencial retemperar as forças ao final dia. 
Conforta e é saudável, sendo um prato rápido que pode ser preparado com antecedência. Costumo preparar a sopa ao fim-de-semana e guardo-a em doses individuais, tendo sempre sopa pronta a ir para a mesa. Faço sempre duas variedades para ir intercalando, por vezes congelo, mas não vale a pena quando ao dividir por doses diárias, a sopa conserva-se bem acondicionada no frigorífico, durante toda a semana,(também não consigo que dure mais de 5 dias)
Fica assim a sugestão da minha opção saudável para os jantares de inverno, pois eu não a dispenso a minha sopa!


Ingredientes:
grão cozido (1 frasco de grão cozido em frasco)
1 curgete
1 batata doce pequena
1 nabo
1 cenoura
1 cebola
1 dente de alho
150g de espinafres frescos
água
sal q.b.
azeite q.b

Preparação:
1.Numa panela média com água fria, deitar os legumes previamente arranjados e cortados em pequenos pedaços e o grão cozido. 
2.Deixar cozer cerca de 20 minutos, até os legumes estarem bem cozidos.
3.Arranjar os espinafres ( gosto de cortar esfarrafar as folhas) e reservar.
4.Quando os legumes estiverem cozidos reduzir a puré, com a varinha mágica. Juntar as folhas dos espinafres, deitar o azeite e temperar com sal.
5.Levar ao lume em lume brando cerca de 15 minutos ( eu gosto das sopas com os legumes bem cozinhados)


Bom apetite!

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Filetes de Peixe Galo no Forno com Crosta de Broa e Coentros


Broa, coentros e alho deram o mote para um uns deliciosos filetes no forno em cama de batata-doce.
A meio da semana as refeições querem-se simples, fáceis sem deixar de ser saudáveis, foi o caso destes filetes, que domingo ficaram a marinar a pensar no jantar de segunda-feira. Marinados de véspera, no dia bastou fazer a cebolada com o pimento e em pouco mais de meia hora o jantar estava na mesa. Para quem trabalha fora e regressa a casa todos os dias depois das 20 horas, sem perder o rumo de uma boa refeição, há que planear e pré-preparar, para isso aproveito o fim-de-semana para me organizar. Além de saber de antemão o que comer, as compras são mais racionais e o desperdício é menor. Foi o caso de um pedaço de broa que podia ter sido comida simples, mas meia dúzia de fatias deram um maior encanto aos filetes de peixe galo.
Um prato repleto de cor; o vermelho do pimento, o laranja da batata-doce, o verde dos coentros. Cor e muito sabor para confortar o estômago e fazer sorrir a alma num dia frio, típico de inverno, onde sabe bem regressar a casa após um dia longo de trabalho! 

Ingredientes:
Para a marinada
Filetes de Peixe Galo ( 4 filetes grandes)
2 dentes de alho
1 limão
1 lima
sal e pimenta q.b.

Para a crosta:
1/4 broa de milho
1 molho coentros
1 dente de alho

Para a cebolada:
1/2 Cebola grande ou uma média
1/2 Pimento vermelho
azeite


Pronto a ir ao forno

1. Marinar os filetes de véspera ou umas horas antes, para tomarem gosto, com 2 dentes de alho, o sumo e as raspas da lima e do limão, sal e pimenta.

2. Fazer a cebolada, numa frigideira deitar um fio de azeite, a cebola às meias-luas, o pimento às tiras. Deixar refogar.

3. Escorrer os filetes da marinada e colocar sobre a cebolada, na frigideira. Entretanto, cortar uma batata doce às rodelas com a espessura de um dedo e reservar.

4. Preparar a a crosta de broa: 
Num processador deitar a broa cortada em pedaços, os coentros (uma mão cheia de coentros arranjados) e os dentes de alho. Picar até ficar um miolo grosseiro.

5. Numa assadeira colocar a cebolada no fundo, as rodelas de batata-doce, sobre estas os filetes, cobrindo com o preparado da broa, formando uma crosta. Regar com um fio de azeite e levar ao forno pré-aquecido a 200ºC cerca de 20 minutos.

6. Servir com legumes cozidos a vapor ou uma salada verdes



Bom Apetite!

domingo, 13 de janeiro de 2019

"Sem Peso na Consciência" - Queques de Banana e Canela Sem Glúten




Quando se fala em felicidade, muito poucos se focam nos pequenos momentos em que somos felizes.
Sem dúvida que seria mais feliz se hoje estivesse a viajar, a conhecer uma cidade europeia que desconheço, seria mais feliz se pudesse ir para qualquer recanto deste país, aproveitar o que de bom temos, ou seria mais feliz se tivesse uma casa com lareira, pois adoro os dias de inverno confortavelmente sentada a ver o crepitar da madeira a arder, ou seja seria mais feliz se, e se, e se...mas não. E, para mim a alegria da vida é isto, saber viver a felicidade dia-a-dia.
Por isso, todos os dias encontro pequenos momentos que fazem o meu dia, que me fazem feliz, me fazem sorrir, fazer aquele gesto de YESSS, como quando conseguimos algo que muito queremos. 
Hoje um dos momentos felizes do meu dia foi criar uma receita de queques sem glúten a pensar na minha afilhada que é celíaca, em mim porque gosto de cultivar uma alimentação saudável sem perder sabor e em todos os que por necessidade ou por opção possam experimentar a minha receita. 
O mais engraçado é que acordei com a ideia na cabeça e não descansei enquanto não a coloquei em prática. Quando provei o resultado final, constatei que afinal algo me impelia para começar o meu domingo na alquimia da cozinha e não em outro sitio qualquer e, ainda bem pois que belo começo  de semana para mim e para o Bago de Romã!!!



Ingredientes:
( 1 chávena = 200 ml)

1 cháv. de farinha de aveia sem glúten ( triturei 100g de flocos de aveia sem glúten até ficar em farinha)
1 cháv. de farinha Maizena ( amido de milho)
1/2 cháv. de farinha de coco
1 cháv. de açúcar de coco
2 c. chá de fermento em pó
1 ovo
1/2 cháv. de óleo de girassol
1/2 cháv. de leite sem lactose (ou leite vegetal)
2 bananas maduras
1 c.chá de canela
1 pitada de sal
Amêndoa laminada para decorar ( facultativo)

Preparação:
1. Pré-aquecer o forno a 180ºC e untar as formas de queques.
2. Num taça misturar todos os ingredientes secos. Deitar o açúcar, as farinhas e o fermento em pó.
3. Numa taça à parte preparar a mistura líquida. Bater o ovo com o óleo e o leite, ( aqui junto uma pitada de sal).
4. Na taça com a mistura seca, fazer um buraco ao meio e deitar o preparado líquido, envolvendo até obter uma massa espessa. Se esta tiver muito espessa que prenda a colher ao mexer, deitar mais um pouco de leite até que fique com uma boa consistência.
5. Juntar as bananas esmagadas com um garfo e a canela e envolver bem na massa, até ficar um preparado homogéneo.
6. Deitar nas formas sem encher ( a 3/4), eu costumo deitar 2 colheres das de sopa de massa e levar ao forno cerca de 25 a 30 minutos. Convém verificar ao fim de 20 minutos, no meu caso estavam bons ao fim de 25 minutos. O tempo varia muito de forno para forno, portanto nada como validar sempre e se tiverem dúvidas sobre a cozedura, testar com o palito. Não falha!
7. Depois de arrefecerem gosto de colocar em caixinhas de papel, ficam mais bonitos se forem para oferecer ou até na mesa do lanche.



Bom Apetite!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

O Meu Tagliatelle à la Carbonara




Janeiro traz o frio e o frio pede comida de conforto!
Ora bem, tenho muitas "comidinhas de conforto na minha lista, mas nada como um prato de massa, ou " pasta", daqueles que se faz "enquanto o diabo esfrega um olho", e um desses pratos é a massa à la carbonara. Tão simples e acessível, que todos sabem fazer, sendo uma das primeiras receitas que os jovens aprendem para se aventurarem sozinhos nas lides culinárias, portanto não será mais uma receita, mas sim a minha receita.
O meu toque é simples, em vez de apenas saltear o bacon, refogo-o com alho e cebola, borrifando com um golpe de vinagre no final que lhe corta a gordura. 
Assim foi num destes dias da semana, quando num dia mais atribulado não tendo deixado nada preparado para o jantar, em menos de meia hora saiu um tagliatelle á la carbonara, à minha maneira.
No meu frigorífico não faltam ovos e bacon e na despensa vários tipos de massas, logo não foi difícil arranjar uma boa desculpa para confortar o estômago e aquecer a alma em mais uma noite fria de inverno.
Bom apetite!




Ingredientes:
200g de bacon em tirinhas
1/2 cebola ( 1 cebola pequena ou 2 chalotas)
1 dente de alho
azeite
400g de massa tagliatelle com espinafres
150 ml de natas
4 ovos
sal, pimenta, noz-moscada
1 c.sopa de vinagre
1 folha de louro
Queijo ralado

1. Cozer a massa em água e sal , com uma rodela de gengibre ( cerca de 8 a 10 minutos).
Quando estive al dente, escorrer, juntar uma colher de sopa de manteiga e reservar.
2. Entretanto, num tacho deitar um fio de azeite e levar a refogar a cebola e o alho picado, com a folha de louro. Juntar o bacon, mexer, borrifar com o vinagre e deixar refogar até ganhar cor.
3. Numa tigela bater os ovos com as natas, temperar de sal, pimenta e noz-moscada. Adicionar ao tagliatelle escorrido, mexer com dois garfos e juntar o bacon.
4. Levar rapidamente ao lume só para coagular os ovos.
5. Servir polvilhado com queijo ralado e manjericão seco.





Bom Apetite!

domingo, 6 de janeiro de 2019

Bolo Fofo de Iogurte e Arandos


Chegámos ao Dia de Reis! 
É um dia de festa onde o Bolo Rei não pode faltar. Na minha casa nunca faltou a romã neste dia , sendo o dia em que o Bolo Rei encerrava oficialmente as festividades. 
Como gosto de tradições, mantenho a romã neste dia, guardando a sua coroa para ter abundância o ano inteiro; quanto ao Bolo Rei que adoro, evito tê-lo para não o comer, pois a época dos disparates terminou oficialmente, sendo tempo de voltar à rotina.
Mas festa que é festa tem bolo e, lá fui eu aproveitar para criar mais um bolinho, aproveitando uns arandos e amêndoa laminada que restaram do Natal.
O meu bolo de hoje é simples e fofo, de iogurte grego e aromatizado com raspas de laranja, pintalgado com as bagas vermelhas.
Este é o meu bolo para assinalar o dia em que os Reis Magos visitaram o Menino Jesus e com ele inicio o novo ano de 2019 no Bago de Romã, desejando a todos os seguidores e os que por aqui passam um Feliz Ano Novo!


Ingredientes:
180g de açúcar amarelo
250g de iogurte grego
100g de farinha maizena
180g de farinha de trigo c/ fermento
1 c. chá de fermento em pó
5 ovos médios
1 chávena de óleo de girassol
1 chávena de arandos secos
1. c.sobremesa  de farinha para envolver os arandos.
Raspa de uma laranja
Manteiga para untar e farinha ou pão ralado para polvilhar.

Preparação:
1.Pré-aquecer o forno a 180ºC.
2.Untar a forma e polvilhar com farinha ou pão ralado.
3.Numa taça envolver os arandos com uma colher de sobremesa de farinha e a raspa de laranja.
4.Na Bimby colocar a "borboleta" e bater o açúcar com os ovos, durante 4 Min/ 37ºC/ Vel.4. Após esse tempo marcar mais 2 Min/Vel.4.
5. Juntar o óleo e bater 10 Seg/Vel.4
6. Adicionar de seguida o iogurte  e marcar 10 Seg/Vel.4
7. Por fim deitar a mistura,das farinhas com o fermento em pó, previamente peneirada, e misturar 10 Seg/ Vel.3. Deitar os arandos e envolver 10 Seg/Vel.4
8. Deitar na forma e levar ao forno cerca de 35 a 40 minutos, a 180ºC. Como o tempo varia de forno para forno, o que recomendo sempre é o famoso e infalível teste do palito. Ao fim de 30 minutos fazer o teste e depois é vigiar até estar perfeitamente cozido.(A forma utilizada neste bolo foi a rectangular, e no meu forno demorou a cozer 40 minutos).




Bom Apetite!

domingo, 18 de novembro de 2018

As Minhas Papas de Aveia Expresso


Viver a correr, correr para viver! Pode ser este slogan para os dias de hoje, em que o relógio comanda a vida. 
Para qualquer lado que me volte só ouço dizer que " o tempo voa", " não há tempo", " tenho muito que fazer e sem tempo para tudo o que devo". Sem culpas eu também sinto este tipo pressão e confesso que tenho muitas saudades dos tempos em que havia tempo para tudo.
Apesar de o tempo ser uma corrida, nunca saio de casa sem o pequeno-almoço tomado e mesmo durante a semana quando o tempo é contado ao minuto não dispenso as minhas papas de aveia expresso, deixando para o fim-de-semana, o pequeno-almoço variado, feito devagar para ser degustado com todo o tempo do mundo, tempo esse que gosto de desfrutar à mesa, sem pressas ou cumprimento de horários.
Dizem que "depressa e bem não há quem", mas em três minutos, acreditem que consigo ter na mesa umas saborosas papas de aveia: As minhas papas de aveia expresso.
Basta um micro-ondas, um recipiente próprio para micro-ondas ( sim, utilizem loiça adequado, pois se o recipiente aquecer, é sinal que não é apropriado e aí sim é prejudicial à saúde), leite ou bebida vegetal e flocos de aveia finos e um pequeno segredo. 
Não é segredo, mas sim uma dica que também aprendi e que partilho convosco, pois poderão mesmo acreditar que mesmo quem não gosta de cozinhar no micro-ondas vai ficar rendido e sem desculpas para não fazer papas de aveia ao pequeno-almoço só porque não tem tempo. 
Ora bem, fica então a minha sugestão:

Ingredientes:
( para 1 pessoa)

30g ou 4 c.sopa de flocos de aveia finos~
150 ml de leite ( uso sem lactose) ou bebida vegetal
1 c.chá canela em pó
Raspa de limão ou laranja
Mel ou geleia de Geleia de Agave (opcional)

Preparação:
Num recipiente adequado a utilizar no micro-ondas deitar os flocos de aveia finos e o leite. 
Marcar 3 minuto na potência 750 W. Mexendo os flocos entre cada minuto, para que fiquem cremosos, tal como feitos no tacho. (Esta é a dica :) )

Passo-a-passo fotográfico:

1. Deitar os flocos e o leite no recipiente ( eu uso Tupperware Micro Plus)
2. Ao final do primeiro minuto, retirar e mexer

3. Após o segundo minuto, voltar a mexer.
4. Ao terceiro minuto,voltar a mexer e retirar.
5. Adicionar mais leite até obter a consistência desejada. Adoçar a gosto ( opcional)
6.Polvilhar com canela e raspa de laranja ou limão.

E, em menos de 5 minutos o pequeno-almoço está pronto. Como quem provou gostou, partilho aqui a minha sugestão expresso para os dias da semana, onde o relógio é o dono e senhor do tempo! Espero que gostem tanto como eu.



Bom Apetite!

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Sopa de Chocolate da Avó



Após umas férias prolongadas (do Bago de Romã), cerca de quatro meses, nada como aproveitar a chegada oficial do Outono, para partilhar uma receita recheada de memórias.
Sempre que chega Outubro, não sei explicar a razão, mas a minha mente viaja sempre até ao meu primeiro dia de escola. Consigo fechar os olhos e visualizar a escola, a professora que me acolheu, uma senhora já dos seus sessenta anos, alta e esguia, vestida de fato cinzento. O seu ar austero, de óculos à ponta do nariz, cabelos brancos apanhados num carrapito, bem no alto da cabeça, impunha respeito ao chamar os novos alunos pelo nome. Eu pequenina, olhava curiosa com misto de ansiedade para o novo mundo que iria conhecer. Entrei então na minha sala, e de imediato a tranquilidade invadiu o meu coração pois fomos recebidos por uma senhora de olhar doce, já com idade de avó, a Professora Maria José Correia, que me acompanhou os quatros anos da escola primária, agora ensino básico. Posso mesmo dizer que foram os anos da minha vida de escola, os quais me deixaram mais saudade, a escola, a professora e os colegas dos quais me recordo de todos os nomes.
Enfim, chegamos a mais um Outubro e com ele chegam as manhãs fresquinhas e os dias mais curtos, acompanhado da nostalgia dos meus tempos de infância, onde o tempo parecia que demorava a passar.
Outubro transporta-me também para a cozinha da casa dos meus pais, onde passava as tardes, fazia os trabalhos da escola  e onde ajudava a minha mãe e avó a preparar o jantar, a preparar as compotas, marmelada e geleia que enchiam a despensa para  o Inverno e a fazer biscoitos.
Outubro transporta-me para o conforto do lar. Para a felicidade da chegada do final do dia, do regresso a casa.
E,  num destes dias nostálgicos, no caminho de regresso a casa, envolta nestes momentos mágicos, que vivi e que já não voltam que me recordei da Sopa de Chocolate da minha Avó.
Hoje, primeiro dia de Outono a sério, em que a chuva veio dar o ar da sua graça, esta sopa não me saía da cabeça, e desde cedo pensei no que seria o meu jantar. Cheguei a casa e em menos de 30 minutos a sopa estava na mesa!
Outubro, o mês de recomeços e de conforto, e é com a reconfortante Sopa de Chocolate da minha Avó que volto ao Bago de Romã. Sejam bem-vindos!

Ingredientes:
(2 pessoas)

1 lata de feijão vermelho das pequenas
1 batata
1 cebola pequena
1 folha de louro
azeite q.b
sal

Preparação:
Num panela, deitar o feijão já cozido com a água, a folha de louro, a batata e a cebola cortada em cubos. Juntar mais água ( a cobrir o feijão e a batata) e levar ao lume até a batata e a cebola estarem cozidas.
Reduzir a puré. Retificar o sal e deitar o azeite.
Mexer e deixar cozinhar mais uns 2 a 3 minutos.
Nota: A consistência da sopa depende a água que se deita na panela. Eu prefiro deitar pouca água e depois acrescentar, caso seja necessário.
Esta sopa é excelente para aqueles dias em que não temos jantar pronto e precisamos de algo que nos conforte o estômago e a alma.
A minha avó costumava cozer o feijão, mas quando não tenho feijão cozido, as latas ou frascos de feijão já cozido são uma boa alternativa e não nos deixam ficar mal.



Bom Apetite!




domingo, 10 de junho de 2018

"Assado de Domingo" - Borrego no Forno apenas com 3 ingredientes...e uma Ultra Pro


Alerto que esta publicação não é patrocinada pela Tupperware!!!
Aviso à parte, porque quem me lê e segue, sabe que se o faço é por gosto, portanto, vamos ao que interessa.
Hoje partilho um assado fantástico feito na Ultra Pro, apenas com borrego, massa de pimentão, azeite e vinho branco...o forno, claro está se encarregou de fazer o resto.
Ao domingo, o forno acende-se pelo menos enquanto o calor não chega. Com as férias no horizonte, vai-se escoando o congelador, e eis que um saco com pedaços de borrego para guisar ou assar esperavam pelo seu destino. Como a paciência é pouca e a preguiça muita, resolvi apenas temperar com massa de pimentão (algo que nunca tinha usado, mas que a minha sogra usa e que resulta muito bem).
Ora, nem mais toca de despachar o borrego para o forno. Duas colheres de sopa de pimentão, um fio de azeite e um pouco de vinho branco, massaja-se bem a carne para que o tempero seja absorvido e direto ao forno, cerca de 2h30 a 3h, em lume baixo, 160ºC. Não tempero de sal, uma vez que  a massa já tem, ficando saboroso sem acrescentar mais. Mais simples e prático não poderia ser.


Os recipientes para o forno da Ultra Pro, são apropriadas a cozinhar com pouca gordura, e lentamente, a carne vai cozinhando nos seus próprios sucos. Além da vantagem de poder assar as batatas/ legumes  na tampa (voltada ao contrário) que serve de recipiente adequado, e que por sua vez protege o forno dos salpicos. Tenho há cerca de 10 anos e continuo fã, portanto quem tem este recipiente e nunca utiliza, nem sabe o que perde. 
Um autêntico dois em um. As minhas são das mais antigas, mas são um excelente utensílio quando quero cozinhar com pouca gordura. Já cozinhei frango, carne de vaca, porco e sempre com bons resultados.
Este foi o meu assado de domingo, uma carne suculenta, bem temperada que saciou o estômago e a alma num dia de junho, cinzento e frio, a clamar pelos dias quentinhos de verão!



Ingredientes:
700g de borrego ( parte das costelas e perna)
2 c. sopa de massa de pimentão (eu usei da marca " Quinta D'Avó) e gostei muito)
1 fio de azeite a olho ( mais ou menos 3 c. sopa)
vinho branco (100 ml)

Preparação:
1. Deitar a carne no recipiente Ultra Pro. Temperar com a massa de pimentão e com as mãos massajar a carne.
Deitar o azeite e o vinho e com uma colher mexer bem, de forma a que a carne fique envolvida.
2. Levar ao forno, tapado cerca de 2h30 a 3h, a 160ºC.
3. Entretanto, uma hora depois da carne estar no formo, aproveitar para assar as batatas. Voltar a tampa da Ultra Pro ao contrário, ficando a parte côncava para cima, deitar as batatas aos cubos temperadas de sal e um fio de azeite (ou pulverizar com azeite que há à venda para o efeito).
Enquanto a carne assa, as batatas vão assando também. Ao fim de 3h, em forno lento, o almoço fica pronto.
A refeição ideal para o domingo preguiço!


Bom Apetite!

sábado, 9 de junho de 2018

Migas de Feijão Frade, Couve e Broa à moda de Leiria


Em tempos que abundam receitas "low carb", descobri recentemente um acompanhamento saudável, bem português, que é tradicionalmente feito em Leiria. Bem conhecidas da Gastronomia Tradicional Portuguesa como as migas típicas da Beira Litoral ,conforme investiguei no livro da Cozinha Tradicional Portuguesa, encontrando aí uma receita similar da Maria de Lourdes Modesto, mas com grelos ao invés da couve migada.
Foi num destes dias e graças a uma jovem colega que comigo partilhou a receita da sua avó, que lá me aventurei a fazê-las de acordo com as dicas infalíveis que resultaram tal como eu esperava. Simplesmente deliciosas.
Claro que as que a avó da V. faz são melhores, pois as couves da sua horta, acabadas de colher  e migar têm outro encanto, mas como quem "não tem cão, caça com gato", a couve migada para caldo verde à venda em qualquer supermercado não deixou de fazer o mesmo efeito, tornando esta receita uma das que irei repetir, pois além do seu valor nutricional é uma óptima alternativa ao habitual, arroz ou batata.
Esta receita que partilho é resultado da minha curiosidade, da generosidade da V. em partilhar a receita da avó, bem como, a  felicidade de mostrar que em Portugal se come muito bem e saudável.
Deixo duas dicas importantes que fazem toda a diferença: cozer bem a couve e escorrer bem toda a água, antes de a misturar com o feijão e com a broa; pois se ficar alguma água, é o suficiente para as migas empaparem, em vez de ficarem soltas como mostram as fotos.
De facto, e seguindo o lema "O que é nacional é bom",estas migas são um bom exemplo da nossa cozinha tradicional portuguesa, sendo um prato saudável  e que se enquadra bem na atual tendência alimentar, de procura por alimentos não processados.



Ingredientes:
1 pacote couve para caldo verde ( pronto a usar)
200g de feijão frade cozido
broa de milho (meia broa)
2 dentes de alho
azeite ( uma quantidade generosa, mais ou menos 2 dl)

Preparação:
1. Cozer a couve em água e sal, deixá-la bem cozida.
2. Escorrer, de forma a que fique com menos água possível. ( eu espremi bem com a mão)
3. Escorrer o feijão frade.
4. Numa saladeira ou taça larga, deitar os ingredientes em camadas pela seguinte ordem: feijão frade, couve, broa.Repetir.
5. Num tacho pequeno deitar o azeite e o alho muito picadinho e levar ao lume até começar a ferver. 6. Por fim deitar o azeite a ferver por cima das migas. (Eu verti com uma colher, )
Envolver os ingredientes e está pronto a servir.
Excelente acompanhamento para carne ou peixe.

Excelente para levar na marmita para o trabalho. Come-se bem frio! Na foto, acompanha panadinhos feitos no forno


Bom Apetite!

quinta-feira, 31 de maio de 2018

"A Cozinha dos Amigos" - Camarão no Forno da Nanda


Há amigos que não conhecemos mas que sentimos algumas afinidades, como o caso da Nanda.
Infelizmente ela já não está entre nós, pois partiu no final de dezembro de 2008.
Ora bem, a Nanda foi uma daquelas pessoas que conheci virtualmente pelo então maravilhoso mundo da Blogoesfera, do final da primeira década do ano 2000. Esses tempos, confesso que me deixaram saudades, tempos idos em que os blogs surgiam como forma de partilha, eram feitos com o coração, muito artesanais, onde pessoas com os mesmos gostos partilhavam num espaço global os seus interesses. Foi assim que nasceu o meu cantinho, com a ajuda de uma amiga virtual, que conheci através do "O Cantinho da Nanda"
Hoje passados 10 anos os blogues são mais bonitos, visualmente apelativos, mas perderam esse encanto, sendo meras montras onde o intuito é vender e não partilhar. Enfim, são outras questões que não vale a pena falar, pois cada um é livre de fazer o que quer, havendo exceções como em tudo na vida, como o caso de alguns blogues desse tempo que apesar de terem seguido um rumo profissional mantêm a sua essência, dos quais me mantenho fiel seguidora.
Quanto a mim, faço-o com a mesma essência de sempre, partilhar; pois a minha vida profissional é completamente fora desta área. Sinto-me feliz de saber que muita gente experimenta o que faço e gosta, que aprende com o partilho e isso deixa-me grata. Primordialmente, é acima de tudo o meu livro de receitas pessoal, do que faço, do que gosto, e sempre que preciso de rever alguma receita tenho-a aqui à distância de um clique. Serve para mim e se servir para mais alguém, excelente!
Voltando à Nanda, eu conheci este blogue por acaso, através de uma receita que procurava na altura, e fiquei logo fã do que ela escrevia. Era pessoa genuína e que passava a sua alma para os seus textos, tive pena de nunca a conhecer, mas acreditem ou não, quando soube da sua morte através do mesmo blogue, pela mão da sua filha chorei como se tivesses perdido uma amiga chegada. 
Já lá vão quase 10 anos e é uma daquelas pessoas que penso e recordo muita vez, com carinho, sendo que guardo algumas das suas receitas como as receitas da Nanda.
Por isso e em memória desta amiga virtual partilho uma das suas receitas. Tem honras de constar na " Cozinha dos Amigos", pois a comida é sabor mas também memória de todos, que de uma forma ou de outra, marcaram a minha vida.
A Nanda marcou pela sua beleza interior, pelo sua forma de por alma nas palavras quando escrevia as suas receitas sempre acompanhada de relatos diários da sua vida e tenho a certeza que os seus filhos marcarão a diferença neste mundo pelos valores incutidos pela sua mãe. No pouco tempo que a conheci virtualmente, ela marcou a minha e hoje recordo-a sempre que faço algo que ela fazia, como o caso destes camarões que fazem muita vez parte da ementa cá de casa.
Obrigada Nanda! Tenho a certeza que és estrela no vasto céu! 



Ingredientes:
1kg de camarão ( usei do congelado)
3 a 4 dentes de alho
azeite q.b.
sal q.b
salsa ( usei em vez da salsa, flocos secos de malagueta- 1 c. chá)
1/2 cálice de Vinho do Porto

Preparação:
Retirar a casca aos camarões ( ainda meio congelados, retira-se muito bem), deixando a cabeça e a cauda.
Colocar o camarão num recipiente de levar ao forno.
Temperar com sal. Juntar o alho picado e a salsa grosseiramente picada ( não tinha, substituí por flocos secos de malagueta)
Borrifar com o vinho do Porto e regar com azeite.
Levar ao forno previamente aquecido a 200ºC, até o camarão ficar rosado.
Mais ou menos 15 a 20 minutos.
Servir a gosto.


Bom Apetite!