segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Costeletas de Perú no Forno à Moda da Romã


Costeletas de perú? Acho que deve ser a primeira pergunta que fizeram ao ler o título desta publicação, pois o perú não tem costelas!

Ora bem, passo então a explicar a quem desconhece, que as costeletas de perú são feitas através do corte da perna, em fatias, e que dado a sua forma redonda e com osso se assemelham às costeletas normais que vemos à venda.
São um corte que aparece com frequência nos hipermercados, embora nos talhos de comércio local, estas costeletas sejam feitas a pedido.
Aproveito esta receita para partilhar uma história, triste mas que terei que partilhar aqui, pois há muito que ando para contar... o Sr. Paulo, o talhante que me abastecia a carne que consumo em minha casa, faleceu subitamente, em Julho do ano passado. Era um homem na casa dos 40, sempre bem disposto, honesto e com ele aprendi algumas dicas sobre as peças de carne adequadas a cada confecção culinária. Deste 1998 até Julho de 2014 foi o meu talho de confiança. Sabia quais os bifes que o J. mais gostava, preparava-me os frangos, de forma a ter peitos, pernas e coxas e o restante para guisar, cortava o fígado em iscas bem fininhas ao meu gosto, e apesar de inúmeros conselhos que aprendi, não vou esquecer nunca, qual a última peça de carne que me preparou, pois foram exactamente as costeletas de perú. Nesse dia quente de Julho,  tinha eu já terminado as minhas compras e pago inclusive, quando olho para a montra e vejo uma perna de perú; ao qual lhe perguntei porque é que via sempre costeletas de perú nos hipermercados, mas nunca as tinha visto à venda, no talho; ele, prontamente respondeu que as fazia na hora, bastava pedir. Não hesitei e pedi para ele  cortar a perna de perú em costeletas. Nesse dia, despedi-me com um resto de bom fim-de-semana, e que iria na próximo sábado abastecer-me antes de ele fechar para férias, pois em Agosto estaria encerrado. Mal sabia eu, que era a última vez que o via, que me atendia, e que por sinal fez algo que me nunca irei esquecer, sempre que comprar ou fizer costeletas de perú, lembrar-me-ei do Sr. Paulo, do seu sorriso simpático para todos os clientes, pelo atendimento especial às clientes mais idosas, que ele carinhosamente chamava avozinhas. Aos sábados, fosse a que horas fosse estava sempre a casa cheia, as caras que via eram conhecidas, por isso não me admirei do choque que foi quando se soube da notícia.
Estavamos no último fim-de-semana de Julho, passei à porta do talho e estranhei estar fechado, pois as férias seriam na semana seguinte, mas pensei de imediato que algum imprevisto poderia ter acontecido. De facto, aconteceu. Ao chegar ao mercado da fruta, perguntei se sabiam porque é que o talho estava fechado, ao qual me responderam que o Sr. Paulo tinha falecido na 2ª feira, de ataque cardíaco. As pessoas estavam consternadas pelo sucedido e até eu e o J. ficámos sem pinga de sangue. Regressámos a casa incrédulos e com uma tristeza enorme, pois há as pessoas que apesar de não serem família, são parte do nosso caminho, e de facto, ele fez parte do nosso durante 15 anos, aconselhando-nos e servindo-nos a toda a carne de qualidade que consumimos, excusado será dizer que as receitas de carne que fiz e partilhei no blogue eram compradas no seu talho.
Após, este acontecimento fatídico, encontrei um novo talho na localidade onde moro, também de excelente qualidade e confiança, e como tal, independentemente do preço, sou adepta do talho tradicional. Quando procuro, pretendo acima de tudo qualidade e confiança em quem me serve, algo que desconfio nas grandes superfícies. Como a vida é feita de mudanças inesperadas e esta foi uma delas, deixo aqui a minha singela homenagem a quem me ensinou sobre um produto nobre, a carne.

Ingredientes:
1 perna de perú cortada em costeletas (6 a 8)
4 dentes de alho
azeite
1 c. chá  de pimentão-doce ou colorau
sal e pimenta
1laranja
1/2 limão
1 dl vinho branco
gengibre
1 c. chá de mel
1 c. chá de mostarda

Preparação:
Temperar as costeletas de perú com sal, pimenta, os alhos esborrachados, a colher de chá de pimentão doce, um fio de azeite, sumo de 1/2 limão, as ervas de provence e  colocar por cima a laranja em rodelas. Deixar marinar cerca de 1 a 2 horas, para a carne ficar mais macia e saborosa.


No tabuleiro de levar ao forno, deitar azeite a cobrir o fundo.
Dispor as costeletas previamente marinadas.
Ao molho da marinada, juntar uma colher de chá de mel, de mostarda, de gengibre fresco ralado, um pouco de vinho branco e mexer até ficar bem dissolvido. Se necessário juntar um pouco de água.
Verter sobre as costeletas, polvilhar com mais um pouco de ervas de provence.


Levar ao forno, a 170º, cerca de 1 hora. Após esse tempo aumentar a temperatura para 200º e deixar cozinhar mais 30 minutos.
Servir a gosto. Eu acompanhei com Puré de Batata e Batata-Doce e legumes ao vapor.


Hoje ao fazer a receita das costeletas, não poderia deixar de lembrar o Sr. Paulo, fazer uma receita em sua memória. "Sr. Paulo, onde quer que esteja, estas costeletas são para si!"


5 comentários:

  1. grande ideia para fazer costeletas de uma maneira diferente, gostei.


    www.ocantinhodosgulosos.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Bom aspeto! Abriu o apetite!
    Beijinhos:-)

    http://princesamae.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. É verdade, existem pessoas que apesar de não as conhecermos bem, fazem parte da nossa vida.
    Gostei da explicação, bjs

    ResponderEliminar